Nasceu sem braços nem pernas mas a fé, a coragem e a determinação venceram. Nunca escolheu o caminho mais fácil. Com a ajuda da família e amigos,aprendeu a aceitar-se e a lutar para ser uma pessoa autónoma e independente. Para ele a deficiência esta nos olhos de quem a vê. Considera-se uma pessoa como todas as outras e a leva hoje “uma vida normal”.

"Faço das fraquezas forças e quero mostrar ao mundo que SER DIFERENTE NAO É SINONIMO DE SER INFERIOR"